Por que, Por quê, Porque e Porquê

Por que, Por quê, Porque e Porquê

Não sou professor de português, aliás não é a área do conhecimento onde eu me destaque. Por isso mesmo, ao escrever aqui no blog, para diminuir o número de erros cometidos, e até como aprendizado pessoal, pesquiso vária vezes na própria net, muitas dúvidas enquanto escrevo.
Uma dúvida que volta e meia preciso novamente esclarecer é o uso dos "porquês".
Assim, resolvi fazer um pequeno resumo, do meu jeito, de forma que da próxima vez que minha memória me trair, buscar por aqui mesmo a solução, de forma rápida prática e resumida (sem maiores explicações gramaticais):

Por que: Separado e sem acento. 
Com sentido de pergunta ou justificativa ("Por qual razão", "Por qual motivo", "Pelo qual" "Pela qual", "Pelos quais", "Pelas quais").
Exemplos:
Por que estou ensinando português? (por qual razão)
As cidades por que passamos eram muito lindas. (pelas quais)

Por quê: Separado e com acento.
Com o mesmo sentido  “Por qual motivo”, “Por qual razão”, mas quando vier antes de um ponto (final, interrogativo, exclamação),
Exemplos:
Vocês não comeram tudo? Por quê?  (Por qual motivo)
Andar cinco quilômetros, por quê? Vamos de carro. (Por qual motivo)

Porque: Junto e sem acento
Com sentido de resposta “Pois”, “Uma vez que”, “Para que”
Exemplos:
Estou ensinando português porque estou tentando aprender. (pois)
Não vá fazer intrigas porque prejudicará você mesmo. (uma vez que)

Porquê: Junto e com acento
É substantivo e tem significado de “o motivo”, “a razão”. Vem acompanhado de artigo, pronome, adjetivo ou numeral.
Exemplos:
O porquê de não estar conversando é porque quero estar concentrada. (motivo)
Diga-me um porquê para não fazer o que devo. (uma razão)

Fonte: Brasil Escola



Vejam Também

Os 100 mais importantes discursos políticos americanos do século XX
Dicas de Como fazer um discurso
Um bom discurso

Postar um comentário